domingo, 9 de maio de 2010

Devaneio Solidário

Post originalmente publicado no dia 07 de Maio de 2010, na coluna Devaneios Argônicos, do site Le Poete en Fleur.

Caros Argonautas,
Hoje queria dedicar um tempo para falar sobre o dia das Mães.
Sim, aquela obstinada e sábia pessoa que sempre vem nos socorrer nos momentos mais difíceis. Mesmo que seja em espírito.
A pessoa em quem confiamos cegamente e nos apegamos desde o primeiro minuto de nossas vidas.
Ela nos alimenta, nos cria e nos ensina o caminho da vida.
Só que esse post não é só mais um para ressaltar as qualidades das mães, falar frases feitas e cair no senso comum. Queria dedicar este espaço, gentilmente cedido por Carol Sakurá, e trazer a tona um grupo de mães que merece todo nosso respeito e que faz com que compreendamos todo o significado da palavra MÃE.
As Mães da Praça de Maio são senhoras que lutam dia após dia, na esperança de que seus gritos jamais sejam calados. São mulheres que no auge da ditadura argentina, tiveram seus filhos arrancados pelo governo militar e os viu sendo colocados para adoção, com a justificativa de que seus pais eram subversivos.
Muitos podem ter morrido e tantos outros tiveram a adoção como destino e seus rumos são desconhecidos.
Semanalmente, essas mulheres se reúnem em frente à Casa Rosada, na conhecida Praça de Maio, e ficam ali protestando na esperança de que alguém lhes dê uma notícia que seja sobre seus filhos.
Essas mulheres merecem todo nosso respeito e admiração, pois são Mães na acepção da palavra. Continuam a exercer este papel, mesmo depois de tantos anos sem uma notícia sequer de seus filhos.

Um comentário:

  1. Mamãe e mãe...

    E Carol é massa.

    Fique com deus, menino Leo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir