sábado, 2 de maio de 2009

Blogueando II





Dando continuação ao post Blogueando, retiro o texto a seguir do excelente blog Ponte sobre o Abismo, do jornalista, músico, mestre e polivalente Wilson Oliveira.


Pausa para reflexão dos valores que nos são passado diariamente pelos meios de comunicação de massa.



Christine (Para muitos, dos maus...)



"Para poucos e maus" é o slogan de uma campanha publicitária de um veículo que ronda a cidade... Em tempos mais que hiperestimulados, hiperconectados, lembrar Adorno e Horkheimer para refletir o quão perigosa é uma campanha como essa é tarefa de quem ainda se assusta.


"Os detalhes tornam-se fungíveis. A breve sequência de intervalos, fácil de memorizar, como mostrou a canção de sucesso; o fracasso temporário do herói, que ele sabe suportar como good sport que é; a boa palmada que a namorada recebe da mão forte do astro; sua rude reserva em face da herdeira mimada são, como todos os detalhes, clichés prontos para serem empregados arbitrariamente aqui e ali e completamente definidos pela finalidade que lhes cabe no esquema. Confirmá-lo, compondo-o, eis aí sua razão de ser" (Max Horkheimer e Theodor Adorno (1985). Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, p118)


A publicidade preocupada com a liberação que os novos meios trazem, segmenta seu discurso com os moldes da Indústria Cultural. Termo ainda indispensável para se analisar o contemporâneo, essa pérola aos poucos (e maus) ainda faz a cabeça de muitos... Sem carro, sem maldade e em meio aos muitos outros que me habitam acho que essa campanha segue a velha lógica da mídia de massa, falar [mal falar] pra muitos. E o cinema tão criticado por Adorno, já nos mostrou o que pode essas máquinas andantes...

6 comentários:

  1. Personal Advertisement.

    http://winmir.blogspot.com/ /My I Ching studies. I can assure you, a thriller for Peers. Commons will not get a shit of it.

    http://singleswingle.blogspot.com/ /My Poetry.

    - Peter Ingestad, Sweden

    ResponderExcluir
  2. Verdade!
    O poder de um carro somado ao poder de péssimas influências pelas propagandas destes, só degrada cada vez mais nossa sociedade!
    Acho que falta um pouco de ética por parte de alguns desses publicitários... Mas acredito ser uma exceção em meio a ótimos profissionais!
    beeejo

    ResponderExcluir
  3. nossa, que isso, com certeza...
    concordo com tudo o que disse,
    e atualmente, a midia vem usando cada vez mais esse poder que infelizmente, influencia a maioria das pessoas, dando e passando valores muitas vezes não tão bons.

    ResponderExcluir
  4. É, hoje em dia algumas pessoas estão preocupadas apenas com o lucro, não com os valores repassados pra sociedade.

    ResponderExcluir
  5. Pois é ... é aquela coisa o que é alien´vel ou alienante: que se deixar alienar ou que quer moldar um discurso alienante? è dificil avaloração das coisas e a conscientização crítica do publico receptor, mas a cada dia que passa a percepção pelo produtor do discurso de seu público, fideliza seu discurso de tão elaborado que é para que el soe o menos alienante possível e quanto há o despertar do público, já era, o "implante" já foi feito! cara, belo blog, ótimo texto... irei linkar vc por lá! Abraços, leandro Carvalho

    ResponderExcluir
  6. Grande Leo ( e comentadores!)

    valeu a linkada pros meus abismos. Um abraço a pé pra vocês

    Wilson

    ResponderExcluir