quarta-feira, 20 de maio de 2009

Papel x Digital


Recebi um dias desse, um e.mail de um amigo questionando a respeito do futuro do jornal impresso. Ele queria saber se eu acreditava que estávamos perto do fim deste tipo de veículo.
Obviamente que eu não consigo prever o futuro, contudo acredito que o tradicional jornal impresso deva estar com os dias contados, porém, não deve ser uma coisa imediata.
Muito se discute sobre como adequar o papel do jornal impresso. Esse debate se faz importante, não só pela substituição do papel, mas também pelo modo de se fazer um jornal diário.
Ultimamente, muito tem se falado no desenvolvimento do Kindle (foto acima). Quando o mesmo for desenvolvido e disseminado para o grande público, acredito que entraremos em uma nova era no modo de como se fazer comunicação.
Saiba mais sobre: Kindle e Fim do Jornal Impresso
E você? Acredita na substituição total do jornal pelo meio eletrônico?

21 comentários:

  1. Fala Leo. Eu particularmente torço para que essa mudança aconteça o mais rápido possível.
    Para mim esse processo é irreversível, mesmo porque não há como conter o avanço dos meios digitais sobre os já tradicionais ( e até milenares ) meios de informação em papel.
    Lógico que sempre surgem os saudosistas que vão dizer que ler um livro ou um jornal impresso é melhor por isso ou por aquilo. Eu lembro, na época da mudança do vinil para o cd, eu fiquei bastante resistente à novidade, até que fui vencido pelas facilidades e qualidade do som digital. Continuei sendo um grande amante de Lps, tenho mais de 600, mas hoje são objeto de coleção, nem escuta-los eu faço mais. O engraçado é que o mesmo não está acontecendo com os Cds, que nesse momento estão se tornando obsoletos também. Eu acho que posso explicar isso: os Lps eram muito mais do que obras musicais. Por serem grandes, eles acabavam sendo projetos maravilhosos de design. Me lembro dos enigmas nas artes dos Lps do New Order, por exemplo, Peter Saville era tido quase como um membro da banda. As capas eram lendárias e hoje são estudadas nas escolas de Design Gráfico pelo mundo. Você não vê isso com cds.
    Eu creio que livros, revistas e jornais vão se tornar peças de colecionadores, exatamente como os Lps. As novas gerações vão se encarregar de enterra-los na memória. Não acho isso ruim, muito pelo contrário. Tudo que está vindo por aí é maravilhoso e necessário, porque se encaixam perfeitamente com a nossa era de informação e dinamismo. Bom, eu acho isso. Abração.

    ResponderExcluir
  2. Rodrigo,
    Obrigado pela visita e pelo comenário.
    Também acho esse processo irreversível. Como você, torço para que ocorra o mais rápido possível.
    As mudanças já estão acontecendo. Basta ver a reformulação da Newsweek e o fechamento de diversos tradicionais jornais americanos.
    Segundo um estudioso americano, quando o país atinge 30% de acesso por banda larga, a crise no jornal impresso ínevitável. No Brasil, a previsão é para o fim de 2010, ou seja, a mudana deve estar a caminho.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Isso já vem acontecendo nos países de primeiro mundo. Porem, saiu um artigo na revista exame na qual mostra o crescimento nos investimentos em jornais nos países emergente como China, ìndia e Brasil. Lá fora é tendência acabar, mais por enquanto o mercado dos jornais, incluindo anuncios, publicidade e leitores, está bombando nso emergentes.

    ResponderExcluir
  4. Rpz, eu, sinceramente, acho que essa viagem de todo mundo, sobre tudo virar máquina, virar digital, é ilusão! sahuashsuhsau Pode até ser que aconteça, mas as pessoas vão perceber como tudo isso vai ser fácil demais, maquinal d+, frio d+....
    Eu msm prefiro ler um lvro de papel e tinta que um e-book! sahasuhasuhasu
    bjaum

    ResponderExcluir
  5. Eu não quero, e acho q isso ira abalr muito a economia, pois muitas pessoas não tem condiões de comprar um bom almoço, ir na net, vc acha q essas pessoas vão ter dinheiro suficiente pra essa paradinha ai de KINDLE ?

    ResponderExcluir
  6. Leo,

    Acredito que a tendência é que os jornais impressos diminuam a circulação cada vez mais. Porém, ainda existem pessoas (como eu) que preferem o manuseio direto com a folha.

    ResponderExcluir
  7. Nao soh acredito como nao vejo a hora de isso ocorrer logo, assim cada um poderá ler apenas o que quizer, evitando desperdicio de papel atoa neh.
    Pois em um jornal se uma pessoa ler 30% dele todo eh muito.
    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Eu acredito sim na substituição do jornal impresso pelo jornal eletronico.

    ResponderExcluir
  9. Lembrando que quanto menos jornais, mais árvores foram salvas!

    ResponderExcluir
  10. A forma como são editados jornais, revistas e outras publicações é muito diferente do que existia. Isso tudo implica e novas formas de impressão e uso dos recursos naturais.

    Não sou favorável a derubada de árvores, mas não são as publicações deste gênero que aumentam os índices de desmatamento.
    Quanto a questão dos jornais serem substituidos... se acontecer, acredito que irá levar ao menos uns 50 anos.

    Rogerio Martins -
    http://palestranterogeriomartins.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Realmente estamos entrando por esse caminho, porém o jornal impresso, assim como um livro impresso são insubstituíveis. Quando ao mundo digital, já temos uma toneladas de coisas pra nos ocuparmos, o bom e velho jornalzinho até nos alivia do stress da evolução digital...

    ResponderExcluir
  12. Douglas Oliveira20 de maio de 2009 21:31

    Caro amigo,

    Tenho uma visão mais social do que comercial.
    Penso que as mídias impressas ainda vão durar muitos anos no Brasil. A cada dia mais pessoas tem acesso ao mundo digital, porém, ainda com muitas limitações. Grande parcela da população ainda tem dificuldades de às novas tecnologias, logo, preferem o papel. Sem falar na grande multidão analfabeta e na maior ainda população "analfabeta digital", estes infelizmente serão atropelados pelo mercado.
    É inevitável, as mídias impressas serão substituídas pelas digitais, simplesmente porque o mercado de produção tecnológica devora tudo o que vê, sem perdão, e logo estaremos culturalmente impregnados disto.
    Mas até lá muitas águas vão rolar.
    Não bastam os exemplos internacionais, pois eles são tendências, temos que olhar nossa própria casa. Quantas pessoas nos meios de transporte coletivo ainda foleiam os pequenos jornais de "baixo custo"? E os livros de bolso? Os hábitos de leitura de nosso povo estão crescendo, e este crescimento, que ainda é lento, vai manter viva a mídia impressa, porque não basta evoluir tecnologicamente, é preciso alcançar novos e manter clientes, deste modo as várias mídias vão ter que conviver juntas por um bom tempo.
    Particularmente, prefiro o papel. Ele simplesmente reflete a luz e não emite outras contra meus olhos.

    Valeu Leo, boa discussão.

    ResponderExcluir
  13. Vai Acabar visto o desepero do O Globo e Folha de São Paulo, acredito que num futuro próximo tenhamos como receber todas as informações pelo telefone como smartphones e dessa forma o Jornal terá um novo layout.
    Esse Kindle terá que ficar baratinho senão , não sei não não cola ... fica cara e o pessoal deixa pra lá,
    Abs
    Amigão ( Como estao as análises )
    Edu

    ResponderExcluir
  14. Definitivamente, a cada dia que passa os novos modelos tecnológicos vêem crescendo sim, mas isso não quer dizer em momento nenhum que uma mídia vai substituir a outra. Muito pelo contrário, se formos analisar o surgimento das mídias que hoje estão presentes em nossas vidas pode-se perceber que mesmo com os boatos que uma substituiria a outra, todas estão presente e convivendo bem entre si. Existe sempre aquela pessoa que prefere uma mídia à outra e assim sendo, por mais que surjam novas mídias, sempre teremos adeptos para cada uma.

    Débora Fernandes

    ResponderExcluir
  15. Ai!
    Tudo bem que eu acho que a tendencia é evoluir e se o jornal acabasse ia ser uma puta economia de papel e bla bla bla... mas sinceramente? perderia toda a graça! Bom é acordar de manhã, pegar um café e ficar sujando os dedos passando as folhas do jornal!
    Ah... eu sou tradicional... tecnologia pra mim tem que ser moderada!

    ResponderExcluir
  16. Leo
    Acredito que o modelo digital tende a se tornar cada vez mais popular, mas não vejo o fim dos jornais impressos.
    Talvez seja hora de se repensar os preços cobrados pelos jornais. Num país de tão poucos leitores, onde se vende muito mais jornais que falam de futebol do que aqueles que tratam de política, deveriam ser repensados os custos de um jornal e também o marketing de venda para que com isso conseguissimos um pouco mais de consciência na hora do voto.

    ResponderExcluir
  17. Não acredito no fim do jornal impresso de imediato pois temos essa tradição de ler jornais é um hábito leva tempo para ser eliminado acredito que o jornal por meio eletrônico será mais uma opção de mais um veiculo de comunicação

    ResponderExcluir
  18. Eu acho que o jornal impresso está com os dias contados, mas eu prefiro o papel. O manuseio dele é muito salutar para os leitores. Contudo não estou fechado a utilização de outras formas.

    ResponderExcluir
  19. Uma questao interessantissima! Sera que o jornal está com os dias contados? Sinceramente, nao creio. Isso já foi posto em causa quando os jornais passaram a publicar sua versao online. Resultado: eles continuam por aí, todos os dias de manhã, na banca mais proxima, ou, até mesmo, à porta de sua casa. Outros exemplos não faltam: achou-se que o cinema estaria com os dias contados quando apareceu a televisão; que a televisão não sobreviveria à internet... Vale lembrar também que, numa sociedade capitalista como a nossa, nem todos têm acesso tudo. Se o computador ainda não é um bem presente em todos os lares, muito menos será o Kindle. No dia em que aquele for, aí, sim, talvez possamos cogitar numa universalização deste.

    ResponderExcluir
  20. É simples. O jornal eletrônico veio para ficar. Isso é fato! O que podemos discutir é o tempo em que o jornal eletrônico vai substituir o tradicional impresso. Mas, uma coisa é certa: vai delongar! Temos uma cultura impressa ainda muito forte e será e esta sendo passada para as novas gerações com menos intensidade mas está. Agora podemos analisar dois fatores: países desenvolvidos e subdesenvolvidos. Nos primeiros,o processo de substituição do impresso para o eletrônico ocorrerá em uma velocidade mais acelerada, já nos países desfavorecidos economicamente e culturalmente o processo acontecerá lentamente.
    Breno Seibel

    ResponderExcluir
  21. http://http://www.asseteartes.blogspot.com/
    esse é meu blog,
    Att, Breno

    ResponderExcluir