terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Coluna da Rouge-Armário da alma




Olá!
A alma possui o poder de mover aquilo que é vivo, tem o dom de se fechar ou abrir.
Ali estão escondidos os tesouros,basta desvendá-los.


Guarda-roupas

Guardas de mim.
Esconde.
Quando preciso revela.
Tudo guarda.
Do que é preciso ao que é supérfulo e até aquilo que não recordo.
Abres e fechas.

Comparo-te a minha vida?
Saio do armário, mas escondo:
Família, amor, amigos, medos, incertezas, vazios.
Possibilidade de poder voltar e encontrar refúgio e ‘saciedade’?
Não!
Sigo ao fim.

Caminhar será a única certeza,
Certeza quase surreal.
Manifestação da realidade do inconsciente.
Volto o olhar atrás.
Ás portas?
Não mais estou.

No interior, somente o que deve guardar
Abertas, as portas indicam o caminho:
Liberdade!
Adeus!

Pouco a pouco fica para trás
Não mais guarda-roupas.
Agora, um armário sob medida.
Exata?
Não se sabes.
Em construção!


Abraços!

Rouge Cerise

6 comentários:

  1. Incrivelmente incrivel.

    Abraços
    Jeferson

    ResponderExcluir
  2. Nossa vida pode ser muito bem entendida pelo texto, nos resguardamos muito assim como nossas vestes dentro de um armario mas estamos a qualquer momento prontos para abrir as portas e nos vestir de maneira e experimentar as mais diversas situações, e isso segue com a vida em contrução, beijos Dra.

    Saudações do Gremista Fanático

    ResponderExcluir
  3. O post é maravilhoso.
    Tenho orgulho de estar aqui no Argônio.
    O comentário do Gremista Fanático é perfeito.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o post. Aos poucos as alma vai se revelado, mas como diz o poema só revela quando é preciso.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Amei, amei, amei e repito.
    Muito belo o texto amiga do meu coração!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Mas será que tudo que tem dentro deste guarda roupa precisa ser guardado?

    E poesia interessante.

    Fique com Deus, menina Rouge Cerise.
    Um abraço.

    ResponderExcluir